The Latest

flowersgardenlove:

rose, flower, bud, d Beautiful gorgeous pretty flowers
Sep 1, 2014 / 70 notes

flowersgardenlove:

rose, flower, bud, d Beautiful gorgeous pretty flowers

(via enchantedtigress)

o-olhar-de-helena-blog:

À memória deJacinta Garcia BenevidesMinha avóNeste mês, as cigarras cantame os trovões caminham por cima da terra,agarrados ao sol.Neste mês, ao cair da tarde, a chuva corre pelas montanhas,e depois a noite é mais clara,e o canto dos grilos faz palpitar o cheiro molhado do chão.Mas tudo é inútil,porque os teus ouvidos estão como conchas vazias,e a tua narina imóvelnão recebe mais notíciado mundo que circula no vento.Neste mês, sobre as frutas maduras cai o beijo ásperodas vespas…- e o arrulho dos pássaros encrespa a sombra,como água que borbulha.Neste mês, abrem-se cravos de perfume profundo e obscuro;a areia queima, branca e seca.junto ao mar lampejante;de cada fronte desce uma lágrima de calor.Mas tudo é inútil,porque estás encostada à terra fresca,e os teus olhos não buscam mais lugaresnesta paisagem luminosa,e as tuas mãos não se arredondam jápara a colheita nem para a carícia.Neste mês, começa o ano, de novo,e eu queria abraçar-te.Mas tudo é inútil:eu e tu sabemos que é inútil que o ano comece.__Cecilia Meireles, Elegia 2ª
Sep 1, 2014 / 30,188 notes

o-olhar-de-helena-blog:

À memória de
Jacinta Garcia Benevides
Minha avó


Neste mês, as cigarras cantam
e os trovões caminham por cima da terra,
agarrados ao sol.
Neste mês, ao cair da tarde, a chuva corre pelas montanhas,
e depois a noite é mais clara,
e o canto dos grilos faz palpitar o cheiro molhado do chão.

Mas tudo é inútil,
porque os teus ouvidos estão como conchas vazias,
e a tua narina imóvel
não recebe mais notícia
do mundo que circula no vento.

Neste mês, sobre as frutas maduras cai o beijo áspero
das vespas…
- e o arrulho dos pássaros encrespa a sombra,
como água que borbulha.

Neste mês, abrem-se cravos de perfume profundo e obscuro;
a areia queima, branca e seca.
junto ao mar lampejante;
de cada fronte desce uma lágrima de calor.

Mas tudo é inútil,
porque estás encostada à terra fresca,
e os teus olhos não buscam mais lugares
nesta paisagem luminosa,
e as tuas mãos não se arredondam já
para a colheita nem para a carícia.
Neste mês, começa o ano, de novo,
e eu queria abraçar-te.
Mas tudo é inútil:
eu e tu sabemos que é inútil que o ano comece.

__Cecilia Meireles, Elegia 2ª

silabasubita:

https://www.facebook.com/silabasubitahttp://silabasubita.tumblr.com/
Sep 1, 2014 / 7 notes
silabasubita:

https://www.facebook.com/silabasubita
Sep 1, 2014 / 10 notes
o-olhar-de-helena-blog:

À memória deJacinta Garcia BenevidesMinha avóNeste mês, as cigarras cantame os trovões caminham por cima da terra,agarrados ao sol.Neste mês, ao cair da tarde, a chuva corre pelas montanhas,e depois a noite é mais clara,e o canto dos grilos faz palpitar o cheiro molhado do chão.Mas tudo é inútil,porque os teus ouvidos estão como conchas vazias,e a tua narina imóvelnão recebe mais notíciado mundo que circula no vento.Neste mês, sobre as frutas maduras cai o beijo ásperodas vespas…- e o arrulho dos pássaros encrespa a sombra,como água que borbulha.Neste mês, abrem-se cravos de perfume profundo e obscuro;a areia queima, branca e seca.junto ao mar lampejante;de cada fronte desce uma lágrima de calor.Mas tudo é inútil,porque estás encostada à terra fresca,e os teus olhos não buscam mais lugaresnesta paisagem luminosa,e as tuas mãos não se arredondam jápara a colheita nem para a carícia.Neste mês, começa o ano, de novo,e eu queria abraçar-te.Mas tudo é inútil:eu e tu sabemos que é inútil que o ano comece.__Cecilia Meireles, Elegia 2ª
Sep 1, 2014 / 30,188 notes

o-olhar-de-helena-blog:

À memória de
Jacinta Garcia Benevides
Minha avó


Neste mês, as cigarras cantam
e os trovões caminham por cima da terra,
agarrados ao sol.
Neste mês, ao cair da tarde, a chuva corre pelas montanhas,
e depois a noite é mais clara,
e o canto dos grilos faz palpitar o cheiro molhado do chão.

Mas tudo é inútil,
porque os teus ouvidos estão como conchas vazias,
e a tua narina imóvel
não recebe mais notícia
do mundo que circula no vento.

Neste mês, sobre as frutas maduras cai o beijo áspero
das vespas…
- e o arrulho dos pássaros encrespa a sombra,
como água que borbulha.

Neste mês, abrem-se cravos de perfume profundo e obscuro;
a areia queima, branca e seca.
junto ao mar lampejante;
de cada fronte desce uma lágrima de calor.

Mas tudo é inútil,
porque estás encostada à terra fresca,
e os teus olhos não buscam mais lugares
nesta paisagem luminosa,
e as tuas mãos não se arredondam já
para a colheita nem para a carícia.
Neste mês, começa o ano, de novo,
e eu queria abraçar-te.
Mas tudo é inútil:
eu e tu sabemos que é inútil que o ano comece.

__Cecilia Meireles, Elegia 2ª


Dormir para a dor ir…
Sep 1, 2014 / 2,857 notes

Dormir para a dor ir…

(via o-olhar-de-helena-blog)

Sep 1, 2014 / 377 notes
Sep 1, 2014 / 1,207 notes
Sep 1, 2014 / 3,163 notes
Sep 1, 2014 / 528 notes
outdoormagic:

Happy Labor Day Friends :-) by bjebie on Flickr.
Sep 1, 2014 / 48 notes
Aug 31, 2014 / 20 notes

gyclli:

David Garrett - En Aranjuez Con Tu Amor

Very beautiful.. ♥♥.

Aug 31, 2014 / 2,142 notes

stevemccurrystudios:

And Joy is Everywhere;
It is in the Earth’s green covering of grass;
In the blue serenity of the Sky;
In the reckless exuberance of Spring;
In the severe abstinence of gray Winter;
In the Living flesh that animates our bodily frame;
In the perfect poise of the Human figure, noble and upright;
In Living;
In the exercise of all our powers;
In the acquisition of Knowledge;

- Rabindranath Tagore, 1861-1941
Nobel Prize in Literature, 1913

(via naturesdoorways)

Aug 29, 2014

se eu orar se eu clamar as muralhas nao resistirao ao poder de Meu Deus.

beernutz31:
Aug 24, 2014 / 757,828 notes